Quarta, 23 de janeiro de 2019
98 98709 2199
Maranhão

20/12/2018 ás 11h05

183

Blog do Costa

São Luís / MA

Mulheres no Maranhão revelam que também foram abusadas por João de Deus, diz MP
Depoimentos foram em promotorias de Imperatriz. Relatos dão conta de abusos sofridos quando elas ainda eram adolescentes. Uma delas disse que foi vítima na Casa Dom Inácio Loyola.
Mulheres no Maranhão revelam que também foram abusadas por João de Deus, diz MP
João de Deus se entregou à polícia no domingo, 16 de dezembro — Foto: Reuters

Duas mulheres procuraram o Ministério Público do Maranhão para relatar que também foram abusadas sexualmente pelo médium João de Deus. Ambas disseram que foram vítimas quando ainda eram adolescentes. As denúncias foram feitas em Imperatriz nas 3ª e 8ª promotorias. Os depoimentos foram tomados no último dia 14 dezembro.


Até o momento, o Ministério Público de Goiás recebeu mais de 500 denúncias no mesmo sentido contra o líder religioso, que está preso desde domingo (16).


No primeiro caso, ouvida pela promotora Alline Matos Pires Ferreira, uma mulher de 39 anos revelou que quando tinha 16 anos, visitou a Casa Dom Inácio Loyola, em Abadiânia-GO, levada pelos pais para se tratar de um quadro de depressão. Ela ficou de abril a junho daquele ano realizando diversas atividades, entre as quais servindo à equipe de apoio em cirurgias espirituais.


Em um dia desses, em um fim de tarde, ela disse que João de Deus a informou que ela seria atendida de maneira reservada. Ele serviu um copo d’água com pétalas de rosas e, segundo a mulher em depoimento ao MP-MA, o médium a olhou fixamente a ponto de hipnotizá-la. Quando ela despertou do transe, recorda que estava de joelhos entre as pernas dele, sendo que ele estava nu e ela com o zíper da calça e o casaco abertos.


A mulher informou ainda que foi ameaçada pelo médium quando começou a entrar em pânico e chegou a ouvir dele, que se ela fosse embora em um ônibus, um acidente aconteceria. Com a situação, o quadro de depressão só aumentou, segundo ela, tendo o alívio três anos depois quando entrou em um novo grupo religioso.


Outro caso foi relatado a promotora Raquel Chaves Duarte Sales. Neste, uma funcionária pública estadual de 56 anos disse que foi violentada aos 14 anos quando morava em Tocantinópolis-TO. Segundo a mulher, ela era filha da gerente de um hotel onde João de Deus se hospedou. A mãe procurou atendimento primeiro e recebeu.


Na sequência, deixou a filha sozinha no quarto com o médium e foi o momento, segundo a denúncia, que foi abusada. Ela relata em depoimento que foi obrigada a tirar a roupa com a justificativa de ser preciso melhorar a energia dela, como parte do tratamento.


 


Siga o blog no Facebook/blogdocosta  e no Twitter @blogdocosta 


 

FONTE: G1 Maranhão — Imperatriz, MA

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium