Terça, 19 de março de 2019
98 98709 2199
Brasil

11/01/2019 ás 13h09

225

Costa

São Luís / MA

Criminosos detonam explosivos em viaduto e queimam ambulância no 10º dia de ataques no Ceará
Série de ataques tem 188 ações criminosas em 43 cidades cearenses desde 2 de janeiro. Ministério da Justiça confirmou que 35 presos do Ceará foram transferidos para presídios federais.
Criminosos detonam explosivos em viaduto e queimam ambulância no 10º dia de ataques no Ceará
Polícia isolou viaduto para retirada de artefatos explosivos em Fortaleza — Foto: Rafaela Duarte/Sistema Verdes Mares

Criminosos voltaram a atacar um viaduto, prédios públicos e veículos entre a noite de quinta-feira (10) e a madrugada desta sexta-feira (11) no Ceará. A onda de violência no estado chegou ao 10º dia seguido com 188 ataques confirmados em 43 dos 184 municípios cearenses. O Ministério da Justiça confirmou que, desde o início dos ataques, 35 membros de facções criminosas do estado foram transferidos para presídios federais – 15 das mudanças ocorreram nesta sexta.


Ataques no Ceará: o que se sabe e o que falta saber


Veja a cronologia dos ataques no Ceará


Os ataques começaram no dia 2 de janeiro, quando bandidos incendiaram ônibus, transportes escolares, veículos de prefeituras, prédios públicos e comércios na capital e no interior.


A Secretaria da Segurança Pública comunicou que 309 suspeitos de envolvimentos nos crimes já foram detidos. Os atentados começaram após o anúncio de medidas do governo para tornar mais rígida a fiscalização nos presídios cearenses.


Entenda o que está acontecendo no Ceará


·       O governo criou a secretaria de Administração Penitenciária e iniciou uma série de ações para combater o crime dentro dos presídios.


·       O novo secretário, Mauro Albuquerque, coordenou a apreensão de celulares, drogas e armas em celas. Também disse que não reconhecia facções e que o estado iria parar de dividir presos conforme a filiação a grupos criminosos.


·       Criminosos começaram a atacar ônibus e prédios públicos e privados. As ações começaram na Região Metropolitana e se espalharam pelo interior ao longo da semana.


·       O governo pediu apoio da Força Nacional. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou o envio de tropas; 406 agentes da Força Nacional reforçam a segurança no estado.


·       A população de Fortaleza e da Região Metropolitana sofre com interrupções frequentes no transporte público, com a falta de coleta de lixo e com o fechamento do comércio.


·       Onda de violência afastou turistas e fez a ocupação hoteleira no estado cair de 85% para 65%.


Explosão em viaduto


Na noite desta quinta-feira, bandidos detonaram explosivos na parede de um viaduto na rodovia CE-040, no Bairro Messejana, na capital. A explosão não causou danos à estrutura, mas o viaduto precisou ser isolado durante a noite.


O barulho da explosão foi ouvido por moradores de bairros vizinhos. De acordo com uma moradora da região que não quis se identificar, a explosão gerou um tremor nas casas vizinhas. "Foi um estrondo muito forte, tipo como se tivesse uma implosão de um prédio", comentou.


De acordo com a Polícia Militar, parte do explosivo não detonou e, por isso, a área do viaduto foi isolada. Uma equipe do esquadrão antibombas da Polícia Militar foi chamado para retirar o artefato e evitar uma nova explosão.


Na madrugada de quarta-feira (9) também houve explosão no viaduto da estação da Linha Sul do Metrô de Fortaleza do Bairro Parangaba, em Fortaleza.


Presos transferidos


O Ministério da Justiça informou 15 presos do Ceará foram transferidos para o presidio federal de Mossoró. Os detentos ainda devem ser redistribuídos para outras unidades federais.


A operação de transferência foi finalizada na manhã desta sexta-feira, com escolta conjunta da Polícia Rodoviária Federal, Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e agentes do governo do Ceará. Ao todo, o governo federal ofereceu 60 vagas para receber criminosos do Ceará.


O governador Camilo Santana já havia confirmado, em entrevista à GloboNews, na quarta-feira (9), que 21 chefes de facções criminosas que estavam presos no Ceará foram levados para unidades federais. Um deles, porém, não teria relação com a onda de ataques.



 


Siga nosso blog no Facebook/blogdocosta  no Twitter @blogdocosta 


 


 

FONTE: G1 CE

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium